sábado, 4 de agosto de 2007

Aurora do 76.

De longe, dar-se pra ouvir uma canção que vem trazida pelo vento e que entra no apartamento de Moacir, vem do radinho de pilha da dona Aurora do 76, o radinho que foi do seu pai, o velho Coió do jogo do bicho, um negro boêmio e conquistador, esse radinho de pilha que a dona Aurora do 76 ouve de dia à noite, que parece nunca ter fim, a pilha parece nunca acabar, começa cedo, as seis e meia quando Moacir é acordado pelas orações de Padre Marcelo Rossi, e a tarde, enquanto a dona Aurora do 76 prepara a comida para o almoço, ela ouve uns sambinhas antigos, e canta também com os sambinhas antigos, canta com Cartola, Martinho da Vila, Bezerra da Silva e etc. A parada é as seis da tarde, logo depois da ave-maria que Moacir escuta da sua casa com os olhos cheios de lágrimas, pois lembra da sua mãezinha que está em Minas, o silêncio procede até as dez e meia, silêncio coisa nenhuma, porque a televisão também é alta, e a dona Aurora deve de ser surda, pois ouve tudo com um volume exagerado. O radinho de pilha da dona Aurora do 76 volta a ativa as dez e meia, depois da novela das oito. A dona Aurora às vezes, ouve uns boleros, muito bonitos por sinal, acho que deve lembrar do pai, o velho bicheiro, Coió da boêmia! Mas o que Moacir no fundo gosta mesmo é de dormir escutando Momentos de amor, com Sérgio Dias, Moacir ama a voz das becks vocals, quando canta; Sergioo Diaaaaaaas, e a dona Aurora do 76 fica suspirando pelo quarto ao ouvir o Sergio Dias falar com aquela voz grossa e bonita logo depois das becks; "Momento de amor, Piatã Fm, mande sua cartinha, desabafe comigo..."
E a dona Aurora do 76 e o Moacir do 75 sofrem juntos ouvindo aquelas cartas enviadas pelo povo brasileiro falando de desilusões, traições, e amores impossíveis, acompanhada de um som instrumental que só de pensar dói o coração. E os dois ficam imaginando juntos como seria aquele locutor baiano da voz de galã de cinema chamado Sergio Dias.

"...Preste atenção querida, de cada amor, herdarás só o cinismo..."

A musica de Cartola agora parece invadir a casa, colidindo com o silêncio bruto e tenso do coração de dona Aurora e Moacir, algo tão notável e tão inverso da situação preocupante e trágica dos personagens que chega a ficar engraçado.Moacir não conhece a dona Aurora, não sabe se ela é triste, gorda, magra, feia, só sabe que ela é do 76, suspeita que ela é velha e sozinha, e religiosa, católica talvez, Moacir conhece o pai dela, por nome apenas, o famoso Coió do jogo do bicho! O velho boêmio! Quem sabe ele já não se esbarrou com a dona Aurora no elevador, e não sabe. Mas ele prefere assim, quando se é sozinho até as paredes serve de companhia, e dona Aurora meio que virou intima dele, meio parenta, meio mãe...

3 comentários:

Juka Lordello disse...

Poorra,

botou pa fudê Brodii :B
mas ainda assim vc tá devendo a saga de Maria Mijona e seu espirito de Porco!!

Flws

Fulana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nay.. disse...

Caramba!
Lindo ...já ando sem adjetivos...
Você deveria ver meu rosto quando leio teus textos...

Parabéns...
bjzzzz