domingo, 3 de dezembro de 2006

Dias Noturnos

Sábado à noite. Nada pra fazer.
Pelo menos no necrotério de cidade onde eu moro.
Não tenho muitos amigos, bem poucos, apenas dois.
Nenhum disponível.
Fui à casa do meu bálsamo, mas ela estava muito bêbada... Papo de sóbrio com ébrio não me atrai, não tem graça. Meu outro amigo não estava em casa, foi para Engenheiros (Enjoy the trip véi!).

Comprei uma carteira de cigarros e fui dar um kesh na rua, gastar o pouco de dinheiro que me restou em brejas, mas não consegui ficar nos botecos da praça, o barulho pornofônico do arrocha e pagode me irritava, fui para um bar mais calmo, onde umas pessoas de bem bebiam e sorriam constantemente... Só que a filha da marafona da garçonete não podia vender cervejas para de menor.

-Então me vê uma dose de licor de café e menta.
-Mas vc vai ter que beber na rua.
-Tudo bem.
-75 centavos.
-Obrigado. Me arranja o fósforo?

Acendo meu cigarro e vou para uma praça vazia mais próxima, me embrulhava o estômago o clima natalino e seus pisca-piscas, um velho no orelhão ligava para uma das suas putas sociais... E eu aqui sozinho, nenhum imbecil para eu consumir o tempo, nem um cão sarnento, só as baratas...

Faço a casca de laranja de cinzeiro, a policia passa e repassa. Nenhum baculejo (graças a deus) não suportaria tanta pressão desperdiçada.
Quem me dera 18 kaisers e vê tudo rodando, nenhum cigarro proibido, tbm já parei, e não sinto falta.
Uma vontade fodida de escutar The Doors... Acendo outro cigarro com a brasa do antecedente para não correr o risco de pedir para qualquer babaca.

Um comentário:

Mr. Scareclown disse...

DEIXE-ME SUA GORJETA PARA EU COMPRAR CIGARROS A RETALHO E SER FELIZ.