segunda-feira, 10 de março de 2008

A peleja com o caboclo Marujo na casa do Cavalo.

* A foto é da Bia, na festa do Coito Interrompido.

O Marujo é o cabloco de um amigo meu, a entidade mais Bukowskiana que eu já conheci, mas ontem ele chegou emputecido por que tomaram a vodka toda dele, que esse meu amigo havia guardado na geladeira.


Advinha quem tomou a porra da vodka?


Ele estava possesso, fumava um cigarro atrás do outro, compulsivamente. E furioso comigo, tanto que atirava as bitucas de cigarro na minha cara, sem antes apaga-los com a lingua, esfregando na lingua, ou na palma da mão.


Eu não tive culpa, não sabia que a vodka era do caboclo Marujo, e foi no embalo do sábado a noite que eu preparei uns drinks com pedaços de manga e vodka, sem saber o que me esperava.


Eu nunca irei esquecer o olhar de furia dele, o olhar duro que por mais que seja de raiva e ódio, carregava uma doçura dos olhos do meu amigo.


Enfim. Minha penitência foi levar para ele uma garrafa de quentão próxima semana, para me redimir.


Não só isso, ta marcado a peleja etílica, ele quer me derrubar achando que sou só pose. Vazio, vida sem vida, como ele mesmo me chamou.


O caboclo só sossegou quando chegaram as 16 cervejas geladas, aí ele se coçou, meteu os pés na mesa, relaxou, brincou ironizando as pessoas, ficou mechendo na buceta das moças, nos seios e da-lhe putaria verbal a noite inteira.
Bebendo no gargalo como um Jesse Valadão com presença de espirito. Minha sorte foi que ele levou toda minha bebedeira junto com ele.



Só ontem veio:

*Um espirito obssessor de um toxicômono: Hunf, cadê o pó, Hunf, uma vontade de cheirar um pó... cadê a cocaína?

(Rogério: Não tenho minha querida, só tenho ansíoliticos, pede nada pra mim não! O drogado da casa aqui é Rafa!)



*A Padilha: Hahahahaha! Eu sinto um gosto de sangue na minha boca... Hahahahaha!



*Oxum: O santo da agua doce.



*O Erê Zezinho: Tsssssssssssssiiiiii, me dá caramelo du pagito? Me dá doce, mel, bolo confeitado. Tsssssssssssssiiiiii...



*A cigana kardecista: linda, linda, serena, um absurdo de gentileza, descrição e requinte. ainda falava castelhano.



*E por fim, o caboclo Marujo: O Jesse Valadão do além.


Amém.

4 comentários:

Bia disse...

e creditos pra foto nada, ne?


hunf!


ainda estou com vontade.

Guilherme disse...

Yo tengo "axé"! hay-haya-haya-hay- ho-ho-ho-ho

Juka Lordello disse...

hahahaha :D

Nefertiti disse...

Ele é foda, e sabe disso.