quarta-feira, 26 de março de 2008

Como criar um desfarce, segundo Stanilavisk.

O próprio.

Abaixo é uma forma criativa de como criar um personagem, lógico que o Fernando Pessoa foi muito mais além nessa tecnica, visto a perfeição dos seus heterônimos, uns fazem mais sucesso que ele, Alberto Caeiro, por exemplo. Eu aprecio bem mais.
Essa tecnica de como construir um personagem é do Stanilavisk, e eu aprendi fuçando as apostilas de teatro de João Gabriel, o Gabo.
Eu tinha uns 13 anos, mais ou menos, estava tentando escrever meu primeiro romance, que era um romance policial, todo misterioso, cabuloso, cheio de crimes e lógicas, tipo; meio "Parque Górki" do Martin Cruz Smith, que eu roubei da biblioteca, e que é ótimo. Só que um pouco mais insensato e fantasioso, no caso; o meu livro livre.
Foi depois desse livro do Cruz Smith que eu me apaixonei pela vodca.
E foi escrevendo uma peça teatral para escola que eu resolvir escrever meu primeiro romance, totalmente punhetinha, achei bom demais naquela época para aqueles que seriam para mim amanhã atores terriveis, um fiasco, mediocres de domingos. Eles não mereciam encenar um texto meu. (Não me tomem hoje por prepotente, perdoem a fidelidade da arrogância dos meus treze anos de idade, quando eu já sabia o que era sífilis.)

Então, escrevi um outro bem razoável para eles, e esse eu guardei pra mim a sete chaves.
Mas o tempo foi passando, até que eu cheguei, literalmente falando, no Tempo dos Assassinos, e perceber que você não é tão bom quanto parece não é uma questão de semiotica, eu vi que eu era bem ruim comparado aqueles gênios, e pior, eu tive a certeza que eu era bem ruim como muita gente que eu lia por aí... isso era o pior de tudo.
E eu não queria ser.

PERFIL DOS PERSONAGENS
Passado/Ontem
NOME - Moacir dos Anjos
IDADE – 28 anos
LUGAR ONDE NASCEU – Minas Gerais
CLASSE SOCIAL – Classe Média
FAMILIA – Pai, mãe, e uma irmã.
ONDE MORA HOJE – Rio de Janeiro
ESTUDOU - Numa escola particular, parou de estudar aos 15 anos, no 1° ano, voltando a estudar mais tarde, aos dezessete, e se formando em Relações Publicas na USP.

Presente/Hoje
O QUE FAZ – Trabalha numa Corretora de seguros
O QUE GOSTA – De jogar palavras cruzadas e lê gibi
ALEGRE? TRISTE? – Triste
QUE MEIO SOCIAL FREQUENTA – Sem distinção, o meio que bem lhe couber.
CASADO OU SOLTEIRO? – Solteiro
PROFISÃO – Vende Seguros de vida
COMO SE PENTEIA – Não se penteia, tem um cabelo curto e liso, e uma barba rala, por fazer.
COMO SE COMPORTA – De forma segura e natural, fala o que condiz, e ouve o que convêm, tem poucos amigos, raros da Corretora, não é de se divertir, nem de extravasar, bebe socialmente, não fuma, assiste aos jornais sem muito interesse, é apaixonado pelos filmes de Kubrick, ler o que te parece inusitado, aprende com o que menos importa, algumas vezes tudo acontece e ele não percebe, amanhã já se esqueceu, ler o que procura, e as vezes se decepciona com ele mesmo.

adora o Sheridan Square do Jorge Mautner, e acha Nietczshe uma merda.

COMO ELE FALA E PENSA – Super educado, um gentleman, suas opiniões são meio contraditórias, não gosta de se expressar, nem de se explicar pra ninguém, prefere ficar do lado esquerdo do palco, ao invés do centro. Pensa que as opiniões são como verdades, cada um tem a sua, e que não precisa convencer ninguém de nada. questiona sempre se é crime querer ficar sozinho e não com um monte de gente que só fala bobagem.
QUEM E COMO ATUALMENTE É A SUA FAMILIA – A mãe saiu de casa quando ele tinha 15 anos, o pai suicidou na mesma época, e a irmã foi trabalhar na Grécia, por meios de uns gringos bacanas que prometiam palacios no campo.
COM QUEM MORA – Sozinho, tem como companhia os peixes que ele mantém preso num aquário sujo.
COMO É A SUA CASA – Um apartamento pequeno e bagunçado, sem muito moveis, um tapete sujo, almofadas, e algumas roupas espalhadas pela casa.
SEUS AMIGOS – Alguns do trabalho, ninguém especial.
IDEOLOGIA – Não gosta de poodles nem de ignorantes
RELIGIÃO – Procura acreditar em Deus sempre quando pode.
TEM ALGUMA CARACTERISTICA PARTICULAR – Anti-social apático, e espectador da vida. ele agradece, obrigado.
QUAIS OS FATOS QUE MARCARAM SUA INFANCIA E ADOLESCENCIA - Uma temporada no manicômio, e um flagra com a mãe fodendo com um doente mental.

Futuro/Amanhã
O QUE ELE QUER DA VIDA – Morrer.

Ainda bem que eu acredito em mim.

Um comentário:

Guilherme disse...

isso tudo foi bem elaborado, chapa. É além de uma criação.

abraços.